Como levar seu Pet na viagem

Como levar seu Pet na viagem

Quem é que não costuma viajar por uns dias, um final de semana, em férias, seja para encontrar amigos, parentes, conhecer novos lugares, e tem que deixar o gato ou cachorro considerados da família, no hotelzinho para animais, ou, pedir aquele “favorzão” para alguém cuidar do bichinho?

Seria bem melhor que ninguém precisasse passar por todo esse estresse, seja o dono do bichinho e o animal.

Foi pensando nesse problema comum que centenas de pessoas enfrentam cada vez que aparece uma viagem, que resolvemos juntar umas dicas de como levar seu Pet na viagem de carro, assim, a felicidade da família vai ser completa e sem preocupações.

Para saber como levar seu Pet na viagem, é simples, basta seguir sempre as mesmas regrinhas que vamos passar para fazer qualquer viagem virar um sucesso! Vamos conferir?

Regra n º 1

Leve seu Pet na viagem, somente se estiver acostumado a passear de carro

Pode parecer bobagem, mas, não é uma boa ideia levar seu Pet na viagem, seja um gato ou cachorro, se não estiver acostumado a fazer passeios, já que certamente ficará agitado, vai miar, latir, pode irritar muito o motorista e os passageiros.

Caso seu Pet se encaixe neste perfil, é bom o quanto antes, começar a passear de carro com ele, assim, terá uma noção de como vai se portar durante horas de estrada.

Regra n º 2

Fale com o veterinário

Essa dica é importante para não causar problemas de saúde em seu Pet durante a viagem, assim, pode evitar gastos desnecessários com veterinários desconhecidos em outras cidades.

Fale ao veterinário sobre a intenção de viajar e levar o Pet junto, assim, faz um check-up geral, o médico pode indicar alguns remédios que ache necessário, até mesmo para evitar enjoos.

Regra n º 3

Alimentação leve no dia da viagem

Tem gente que precisa comer bem antes de viajar, assim como tem outros que preferem comer quase nada, de qualquer forma, a ideia é de não sentir-se mal na viagem e sofrer com enjoos ou vômitos, já que pode acontecer a qualquer um, dependendo das curvas para onde estiver indo!

Nesse caso, o seu Pet deve ser tratado da mesma maneira, com uma alimentação leve, assim, os riscos de enjoo ou vômito podem ser evitados.

É importante levar seus brinquedinhos para que se distraia na viagem, igual as crianças. Não esqueça de levar os pertences que está acostumado, assim, com a carteira de vacinação.

 

Regra nº 4

Períodos de descanso na estrada

Dependendo da distância e do tempo para onde vai, o ideal é parar a cada 2 horas no máximo, se for uma viagem mais curta uma parada a cada 1 hora, assim, como o Pet, todos podem ir ao banheiro, se exercitar, tomar um suco, e estão prontos para continuar o passeio!

Regra nº 5

Use sempre o cinto de segurança, principalmente nos Pets.

 Bom, na hora de transportar seu Pet, dependendo do tamanho do bichinho, é aconselhável que seja transportado numa caixa especial onde terá todo o conforto e ventilação necessário, principalmente os gatos que adoram ficar dentro das casinhas, ou na sua caminha.

Outra opção para levar seu Pet na viagem, é um cinto especial próprio para mantê-lo preso ao banco, mesmo assim, é bom ficar atento as janelas abertas, caso fique solto sobre o banco traseiro.

Existem também a venda, alguns tipos de bolsas, e até cadeirinhas próprias para levar o Pet na viagem, e são parecidas com as cadeirinhas onde devem ser transportadas as crianças.

Já as bolsas têm a aparência igual ao do bebê conforto, e assim, como a cadeirinha, servem apenas para animais de até 10 quilos que devem permanecer presos as cintas para que não se machuquem em caso de freadas bruscas.

Siga essas dicas de como levar seu Pet e Boa Viagem!

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

Como não afetar o meio ambiente com fluídos lubrificantes

Como não afetar o meio ambiente com fluídos lubrificantes

Todo equipamento que trabalha com peças ou componentes em movimento trabalha com fluidos lubrificantes para evitar o desgaste de suas partes móveis, para isso é utilizado um óleo de origem mineral formulado a partir do petróleo.

Tais óleos lubrificantes sendo devido a função do uso normal, ou, através de circunstancias acidentais, podem acabar se degradando a ponto de não mais prestarem para suas finalidades, originando um resíduo nocivo, já que é rico em metais pesados, além de ácidos orgânicos, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos e dioxinas, sendo que todos juntos podem representar um grande problema a saúde e afetar o meio com fluídos lubrificantes gerando danos irreversíveis ao eco sistema!

A questão da reciclagem de fluidos lubrificantes usados, ganha cada vez mais espaço para a questão da conservação ambiental, visto que nos países desenvolvidos, a coleta de óleos usados é geralmente tratada como uma necessidade de proteção ambiental, e não apenas uma opção!

Diante dessa peculiaridade, a gestão adequada desses resíduos possui importância fundamental não apenas para o meio ambiente, como também para o segmento da parte econômica, e a busca de fontes alternativas assim, como de programas de utilização reversa desses produtos.

A resolução nº 9 de 31 de agosto de 1993 do CONAMA, tornou obrigatória não afetar o meio ambiente com fluídos lubrificantes de nenhum tipo, assim, ficou estabelecida a coleta de todos os óleos usados, feitas pelas empresas credenciadas na ANP e licenciados pelos órgãos estaduais de proteção ambiental.

É proibido o descarte de óleo em solos, águas superficiais, águas subterrâneas, no mar, ou em sistema de esgoto ou evacuação de águas residências, ou de modo que represente contaminação atmosférica superior ao nível estabelecido por lei.

E para não afetar o meio ambiente com fluídos lubrificantes, o descarte só pode ser realizado após tratamento prévio, além de ser obrigatório que sejam mantidos os registros de compra e alienação de óleo durante 2anos, caso consuma um mínimo anual de 700 litros/ano.

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

História da categoria F-5000

História da categoria F-5000

A história da categoria F-5000 teve início nos Estados Unidos durante as décadas de 60 a 70, era uma nova opção para fórmulas feitas e em pouco tempo, se popularizou rapidamente pelo mundo inteiro.

A ideia inicial era que a F-5000 fosse uma opção mais barata que a F1, principalmente devido a batalha que envolvia a Indy, promovida pela USAC, enquanto a Sport Car Club of America, conhecida por SCCA,  começou a acreditar nas corridas em circuitos mistos, sempre se baseando nas regras que eram aplicadas nos grupos da FIA.

Em 1965, foram criadas as Fórmulas A, B e C, mantendo os regulamentos que aconteciam nas categorias F2 e F3, além de séries que mais tarde se tornariam clássicas como a Trans-Am e a Can-Am, mas, foi em 1966 o ano em que aconteceu o 1o campeonato da Fórmula A, onde Harry McIntosh consagrou-se campeão nacional pilotando uma Brabham BT7 da F1, modelo de 1963.

No ano seguinte, foi a vez do campeão Chuck Kirkbride, dirigindo a Lotus 18 que competiu sozinho na série em provas abertas com os carros da Fórmula B, sendo que antes disso, não havia ganho nenhuma prova sequer, e sempre chegava até duas voltas atrás do vencedor!

O sucesso da SCCA era visível com suas séries de turismo e carros esportes, então, decidiram alterar algumas regras permitindo a participação de carros com motores de produção com até 5 litros, maiores que utilizados pela F1 que são de 3 litros, como os modelos Chevrolet Camaro, Ford Mustang, Dodge Challenger, AMC Javelin, Plymouth Barracuda, além de outros V8.

Esse foi o trampolim para que a categoria F-5000 fosse alavancada devido a oferta, e isso, chamou a atenção de fabricantes de chassis como McLaren, Lotus, Chevron e Lola, passando realmente a ser conhecida como F-5000.

Já o campeonato original da SCCA acabou se beneficiando também do enorme sucesso da Can-Am, assim, como pilotos e fabricantes europeus que já estavam de olho na modalidade e acabaram migrando para os monopostos da entidade.

Durante onze temporadas, somente nas três primeiras é que o campeão foi americano.

Nos anos seguintes os campeonatos ficaram para os ingleses, Jody Schekter em 1973, e Brian Redman, que ficou conhecido como uma lenda na categoria f-5000, graças ao tricampeonato em 74/75/76.

Outros corredores que passaram pela F1, também fizeram parte da F-5000 americana, Chris Amon, Peter Gethin, Derek Bell, James Hunt, Lella Lombardi, Jackie Oliver, Alan Jones, Patrick Tamo eles, bay, Andrea de Adamich e Hiroshi Fushida.

Muitos pilotos locais que não estavam satisfeitos com a quase ausência de traçados mistos na Indy, começavam então, a ser atraídos para a F-5000.

Como Mario Andretti, os irmãos Unser e Gordon Johncock, além de outros, que insistiram para disputar a série contra a vontade da USAC, isso, levou dirigentes a entrar em acordo e, a partir de 1974, as duas entidades reafirmaram a F-5000, fazendo dela a principal competição de monopostos do país.

Para participar da categoria F-5000, podiam ser utilizados até mesmo os carros de F1 sempre em configuração original. Era necessário apenas, adaptar monopostos do mundial, além de fazer os enormes motores 5.0 caberem dentro de seus chassis estreitos, praticamente impossível!

É interessante esclarecer que a principal diferença para os carros da F1 era o tanque de combustível com a capacidade 50% menor, por isso mesmo, a corrida dos F-5000 eram feitas em duas baterias para facilitar o reabastecimento, além é claro, de terem quase 100 cavalos de força a mais de potência e 100 kg mais pesados.

Para os saudosos da F-5000 uma boa notícia, é que desde Março de 2016, alguns empreendedores liderados pelo ex-piloto Chris Lambden, apresentaram a imprensa um protótipo baseado no chassi Swift FN09, recentemente abandonado pela antiga F-Nippon japonesa, com motor Ford Coyote 5.0 desenvolvido a partir de unidades de produção, com um ar vintage típico dos clássicos F-5000 dos anos 70!

Aparentemente, a ideia é retomar a Tasman Series, com sete etapas na Austrália e na Nova Zelândia entre Dezembro e Janeiro.

Os idealizadores deixaram bem claro, que os pilotos interessados devem ter mínimo de 18 anos, isso, demonstra que não é apenas uma categoria de base.

O retorno da categoria F-5000 está prevista para acontecer até o final de 2017.

É aguardar, para ver!

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

Quais carros as mulheres preferem?

Quais carros as mulheres preferem?

As mulheres estão ocupando uma grossa fatia no mercado de automóveis, isto é porque não querem simplesmente ter um carro, sabem exatamente o que procuram, por isso, já tem montadoras que investem em pesquisas, preocupadas em saber quais carros as mulheres preferem!

E quando se trata de carros para mulheres, todo o cuidado é pouco na hora de fazer o projeto pensando nelas, pois, cada detalhe vai fazer a diferença na compra, como acessórios especiais, cores, posição elevada do banco, tipo dos estofados, quebra sol com um espelho atrás, até as maçanetas precisam ser cuidadosamente pensadas de uma maneira que não quebre unhas, pois, isto sim, é um verdadeiro desastre na vida de uma mulher!

E engana-se quem acha que basta ser um carro fofinho, rosa de bolinhas brancas para a mulher comprar, porque elas também ficam atentas a segurança, economia, valor do IPVA, do seguro, isso tudo, deve fazer parte das pesquisas feitas antes de decidir qual modelo comprar!

O público feminino pode ter a opinião dividida devido a tantos modelos e preços existentes a disposição no mercado, e certamente cada uma vai escolher de acordo com a faixa etária que está, por exemplo, uma solteira pode não ter interesse em carros grandes, já que não tem filhos para levar, mas, pode gostar para viajar com as amigas!

 

Vamos conferir quais são?

Ford Ka

 

  • Design feminino;
  • Confortável;
  • Fácil de estacionar;
  • Entre outros.

Volkswagen New Beetle

 

  • Design fofo;
  • Motor potente;
  • Fácil de estacionar;
  • Entre outros.

Volkswagen Fox

 

  • Várias cores a escolher;
  • Compacto e confortável;
  • Fácil de estacionar;
  • Entre outros.

Citroën C3

 

 

  • Design encantador;
  • Compacto e confortável;
  • Fácil de estacionar;
  • Entre outros.

Ford EcoSport

  • A altura é o diferencial;
  • Campo amplo de visão privilegiado, trazendo mais segurança;
  • SUV compacta com muita tecnologia e funcionalidades;
  • Entre outros.

Kia Soul

 

 

  • Design arrojado e elegante;
  • Muitas funcionalidades;
  • Câmera de ré e teto solar;
  • Entre outros.

Honda Fit

 

 

  • Amplo espaço interno;
  • Pode transportar objetos como carrinhos e bicicletas;
  • Posição do volante permite maior visibilidade;
  • Direção elétrica leve e macia;
  • Entre outros.

Fiat Uno

  • Econômico;
  • Preço baixo;
  • Pode ser customizado com aplicação de adesivos temáticos com cores chamativas e poderosas;
  • Entre outros.

Fiat 500

 

 

  • Design retrô típico de carros italianos;
  • Fácil de estacionar;
  • Teto conversível;
  • Pode ser personalizado internamente e externamente;
  • Entre outros.

Seja como for, essas são boas dicas para os vendedores das concessionárias ou das lojas de automóveis, pois, sabendo quais carros as mulheres preferem, certamente venderão muito mais!

 

E esses são alguns modelos de carros preferidos pelas mulheres, e alguns homens também. Se sentiu falta de algum modelos do seu gosto, deixe um comentários para estarmos sempre atualizando esta lista.

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

100 Dicas para Ter uma Oficina 1000

100 Dicas para Ter uma Oficina 1000

O sonho de todo mecânico é ter a fidelidade dos seus clientes satisfeito pelo ótimo trabalho prestado e oferecendo serviços de qualidade num estabelecimento comercial sério e honesto. Por isso pesquisamos e separamos 100 dicas que farão seu sonho se tornar realidade.

O sonho de todo mecânico é ter a fidelidade dos seus clientes satisfeito pelo ótimo trabalho prestado e oferecendo serviços de qualidade num estabelecimento comercial sério e honesto. Por isso pesquisamos e separamos 100 dicas que farão seu sonho se tornar realidade.

1. Defina um organograma com as atribuições de cada funcionário de acordo com sua função.

2. Seja mais suscetível a mudanças.

3. O primeiro passo para uma mudança é a conscientização de que todas as áreas da oficina precisam passar por uma análise criteriosa e todos os colaboradores têm que se envolver nesse processo.

4. Mostre aos funcionários a importância e o papel de cada um na empresa.

5. Tenha sempre seus funcionários identificados por crachá.

6. Nunca chame a atenção de um funcionário na frente do cliente.

7. Ofereça serviços diferenciados aos seus clientes. Ex. Leva e traz, lavagem, entre outros.

8. Desenvolva a cultura da preservação do meio ambiente em todas as áreas da oficina.

9. Oferecer uniformização adequada é obrigação da empresa.

10. Remunere os funcionários de acordo com o trabalho.

11. Mantenha diálogos sempre ativos.

12. Realize reciclagem e ofereça oportunidades para os seus funcionários conhecerem as tecnologias atuais.

13. Quem trabalha com um sistema de gestão por processos está a 10 anos na frente.

14. Não esqueça que os processos sempre envolvem diversos departamentos, com toda a empresa reunida num só objetivo: a satisfação do cliente.

15. Com processos bem definidos o gestor pode identificar as deficiências das operações e corrigi-las em tempo oportuno, evitando chegar até o cliente.

16. Padronize sua rede com a certificação (Quando aplicável).

17. Utilize sua certificação para participar de licitações públicas. Faça valer o seu diferencial.

18. Busque orientações de gestão em organismos direcionados (SEBRAE).

19. Fique atento e aproveite as oportunidades geradas por exigências do governo, como a Inspeção Veicular.

20. Em caso de oficina a diesel adéque-se para o PMMVD (Programa para a Melhoria da Manutenção de Veículos Diesel).

21. Procure um sindicato e/ou associação para fortalecer o seu padrão de atendimento. Além disso, as associações de classe têm mais acesso para conseguir informações técnicas.

22. Transforme seu concorrente em parceiro, consiga melhores condições e benefícios no mercado.

23. Empresa melhor preparada e melhor formada tem mais possibilidade de atingir melhores resultados e permanência no mercado.

24. Junte um grupo e busque apoio de entidades como o SEBRAE, por meio do projeto Empreender, e aproveite para gerar benefícios para todos os que participam.

25. Busque ajuda externa, uma pessoa de fora enxerga muito melhor o que está acontecendo dentro de uma empresa.

26. Tenha uma certificação da qualidade, pois o órgão certificador irá ajudá-lo a controlar seus padrões de qualidade na prestação de serviços.

27. Lembre-se sempre que a oficina é co-responsável pelo produto que está aplicando no automóvel, por isso, exija produtos de qualidade que sigam as normativas do INMETRO.

28. Implante a filosofia dos 5’s em sua oficina, que transforma o ambiente com organização e atitude, melhorando a qualidade de vida dos funcionários, diminuindo desperdícios, reduzindo custos e aumentando a produtividade das instituições.

29. Na oficina deve-se evitar o estoque desnecessário de peças e materiais em excesso, tanto papéis quanto objetos; desperdícios de graxas, sabão e cremes.

30. Ter a mão apenas as ferramentas que serão necessárias para aquele serviço determinado.

31. . O descarte de óleo e resíduos deve ter a destinação correta feita por empresas credenciadas.

32. Convide o cliente para conhecer a oficina e fazer o trabalho com transparência, oferecendo, inclusive, a possibilidade de acompanhar o serviço.

33. É recomendável que o proprietário do estabelecimento faça um seguro, para qualquer avaria que possa ocorrer ao veículo dentro da oficina.

34. Selecione os serviços adicionais que pode oferecer ao cliente para agregar valor ao seu serviço, como serviço leva e trás, lavagem do veículo, convênio com cooperativas de táxis, etc.

35. A certificação é um investimento e não um custo, pois é uma ferramenta valiosa para análise do sistema da qualidade existente e cobrança contínua de melhorias.

36. A certificação nas oficinas é um reconhecimento público da empresa em relação ao sistema de gestão da qualidade implantado, que em seguida é analisado por uma entidade neutra, habilitada para essa finalidade.

37. Trabalhar de acordo com regras que preservam a integridade física do mecânico é primordial para o sucesso do negócio da reparação e todos são beneficiados.

38. Para evitar problemas com o ministério do trabalho é obrigatório que o empresário disponibilize para seus trabalhadores, além dos EPCs e das devidas manutenções do ambiente de trabalho, os equipamentos de proteção individual, também conhecido por EPIs.

39. Muitos funcionários se recusam a utilizar os EPIs, por não entender que essa prática vai resguardar sua integridade física e sua segurança no dia a dia do trabalho. É uma questão de conscientização e treinamento.

40. O funcionário que descuida do uso dos equipamentos de proteção, apesar de tê-los recebido e orientado sobre o uso, deve receber uma advertência do empregador.

41. Cuidado na formação de preços, levante todos os custos relacionados direto e indiretamente com o serviço. (Ex.: Lavagem, Cafezinho, Água e etc.)

42. Faça um planejamento estratégico com os objetivos que quer atingir num determinado período e assim estipular os indicadores que serão controlados.

43. Registre todas as suas ações para acompanhamento dos resultados.

44. Crie seus próprios indicadores, não existe uma regra, tudo vai depender de qual é o seu objetivo.

45. Crie indicador sobre melhoria no atendimento.

46. Crie indicador para o visual da oficina.

47. Crie indicadores para os processos.

48. Crie indicadores para a entrega do veículo.

49. Crie indicadores para a quantidade de reparos.

50. Defina indicadores que facilitem a solução de problemas.

51. A criação de um fluxograma em cada etapa pode ajudar muito.

52. Utilize estatística e gráficos, a partir dos seus registros, é o modelo mais recomendado para obter os benefícios dos indicadores.

53. Indicadores mostram desenvolvimento, podendo efetuar as correções necessárias em tempo de evitar problemas.

54. Faça um acompanhamento dos indicadores com sua equipe, tornando-a parte de um todo.

55. A pesquisa de satisfação serve para medir o padrão de qualidade do serviço prestado bem como sentir de que forma os clientes avaliam os processos, produtos e serviços oferecidos.

56. Criar um controle de reclamações dos clientes.

57. Crie índices para análise e controle de reclamações.

58. Pergunte ao cliente no momento da entrega do veículo, se ele concorda em responder um questionário de satisfação de atendimento.

59. Marque uma data para a pesquisa com o cliente ainda na entrega do veículo.

60. Não direcione os resultados da pesquisa, pois funcionam como referência para uma auto-avaliação.

61. Não adianta ter uma pesquisa guardada na gaveta enquanto você continua sem saber onde está a falha da sua oficina.

62. Essa ferramenta serve para mostrar onde devem ser feitas as ações e, se assim não for, a pesquisa não está atendendo ao seu propósito.

63. As pesquisas devem ser tabuladas, analisadas e formatadas a fim de gerar base para um plano de melhoria contínua.

64. Utilize a pesquisa para comparar os seus serviços ao longo de um período, caso positivo utilize essa informação em suas ações de marketing e caso negativo crie um plano de melhoria.

65. Após implantação das melhorias, sempre faça uma pesquisa para saber o que seu cliente está achando.

66. Mantenha arquivado o histórico de resultados de suas pesquisas e reclamações, para comparações futuras. Ex.: Em 2005 tínhamos 75% de aprovação dos serviços e em 2010 95% de aprovação ou nossa capacidade de atendimento era de 200 carros/mês e hoje passou a ser 500 carros/mês.

67. Deixe claro ao cliente que o objetivo da pesquisa é promover a melhoria na prestação de serviço e que é importante não só as respostas como algumas sugestões que o mesmo queira dar.

68. Sempre que implantar uma melhoria sugerida pelo cliente, sinalize para que todos saibam e percebam essa melhoria, inclusive o próprio cliente.

69. É importante que a pesquisa seja feita depois de alguns dias que foi realizado o serviço, com um tempo para o cliente rodar com o carro dando o seu parecer, porém nunca superior a cinco dias úteis.

70. Deixe o cliente bem a vontade para expressar a sua impressão sobre o serviço prestado, bem como o que não lhe agradou dentro do seu atendimento.

71. A pesquisa lhe gerará um banco de informações muito rico, portanto, defina padrões de excelência a serem atingidos para que a pesquisa não fique sem sentido.

72. Os itens que tiverem notas baixas devem ser revistos e melhorados. Como qualquer outra atividade, essa avaliação pede o PDCA (Planejamento, Desenvolvimento, Controle e Avaliação).

73. Uma pesquisa bem trabalhada, assim depois de um tempo, permite planejar o crescimento do seu negócio no mercado, através da satisfação do cliente.

74. Uma pesquisa bem trabalhada pode direcionar o futuro da sua empresa, o caminho do desenvolvimento e para o crescimento.

75. Mantenha o ambiente limpo, isso irá atrair públicos diferenciados à sua oficina.

 

76. Ambiente organizado passa uma boa imagem ao cliente e facilita o trabalho dos funcionários.

77. Reduza seu custo implantando a Iluminação Natural.

78. Mantenha uma boa sinalização interna da oficina.

79. Tenham uma boa recepção para os clientes que estão aguardando atendimento e a entrega do serviço.

80. Implante a separação dos resíduos nas oficinas e o descarte correto de peças e outros resíduos gerados da reparação.

81. Adote caixas decantadoras, que fazem o trabalho da separação da água e do óleo antes da destinação para esgoto público.

82. Utilize um analisador de gases para controlar a emissão de gases do veículo na atmosfera.

83. Recicle o gás do ar condicionado para reaproveitamento, pois além de preservar o meio ambiente, traz lucros.

84. Utilize uma máquina lavadora de peças para a lavagem de peças em geral, com produtos biodegradáveis, que não agridam o meio ambiente e gerem economia.

85. Observe se pode oferecer estacionamento para os seus visitantes.

86. Faça a manutenção preventiva das suas instalações e de todos os aprimoramentos que foram realizados.

87. Disponibilize banheiros decentes e limpos para clientes e funcionários, e ainda vestiários com chuveiros.

88. Em relação a limpeza, vale o senso de “não sujar”, assim outras pessoas terão até vergonha de sujar um ambiente que está tão limpo.

89. Se na oficina, cada um manter o seu local limpo, assim como as áreas em comum, o lugar vai estar sempre conservado.

90. Uma seqüência lógica no layout da oficina, por exemplo, reduz o tempo de trabalho e minimizam riscos de acidentes, afinal o trabalhador não precisa ficar andando de um lado para o outro desnecessariamente.

91. O ambiente de trabalho em geral deve ser estruturado para também resguardar a integridade do funcionário.

92. Recomenda-se conferir também se os hidrantes encontram-se desimpedidos e se as mangueiras de água estão guardadas em locais apropriados, o que é uma exigência do Corpo de Bombeiros e vale também para extintores.

93. Em situações de emergência e em casos de acidentes, a oficina deve ter uma caixa de primeiros socorros com anti-séptico (mertiolate), esparadrapo, algodão, curativo pronto (band-aid), etc, sem manter medicamentos.

94. É importante ter também um convênio com hospitais e os telefones do corpo de bombeiros, ambulância, polícia, resgate e o endereço da oficina sempre em um local de fácil visualização.

95. Crie condições para que o cliente possa acompanhar o serviço no seu carro. Ex.: Online de onde o cliente estiver, similar com os bebês em grandes maternidades.

96. Busque entregar serviços mais confiáveis ao cliente usando a tecnologia com equipamentos e softwares.

97. Informatize seus processos e ganhe mais produtividade.

98. Implante um sistema de gestão informatizado que possibilite organizar orçamentos, contas a pagar e receber, agenda de atividades, controle de estoque, peças, cadastro de clientes, fornecedores, relatórios, balanceamento e alinhamento, além de gestão da qualidade.

99. Adquira um scanner automotivo, que faz a leitura e análise de vários componentes relacionados com a injeção eletrônica do motor, sendo essencial para oferecer um reparo de qualidade.

100. Disponibilize um sistema de busca de informações para os funcionários.

 

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.