" /--> dicas
Como Instalar a Cadeirinha de Bebê

Como Instalar a Cadeirinha de Bebê

Dirigir com responsabilidade é o mesmo que dizer que todo motorista é responsável em transportar cada um de seus passageiros, principalmente quando o assunto envolve as crianças, então, nada melhor que reforçar alguns pontos importantes, por isso, é bom que saiba usar a Cadeirinha para Transporte das crianças corretamente, senão a criança pode se machucar ou até mesmo morrer, se acontecer um acidente. E ainda gera multa, duas coisas que você quer evitar a qualquer custo.

Desde 2010 o uso da cadeirinha para transporte das crianças deixou de ser uma simples opção de conforto para acomodar os filhos, passando ser obrigatório, e o tipo de assento de segurança, ou seja, a cadeirinha pode variar de modelo conforme a idade da criança, conforme mostrado no quadro abaixo:

  • O bebê conforto, é o tipo ideal para o transporte das crianças que tem até 1 ano de idade;
  • As cadeirinhas são as indicadas para o transporte das crianças entre 1 e 4 anos;
  • Os chamados assentos de elevação, devem ser utilizados para transporte das crianças que tem a idade de 4 até 7,5 anos;

A partir dos 7,5 até os 10 anos de idade, as crianças podem ser transportadas sentadas somente no banco traseiro e sempre atreladas ao cinto de segurança.

É bom esclarecer que as crianças nessa faixa de idade podem ser transportadas no banco da frente somente em casos que o modelo do carro tenha apenas 1 banco, ou, em ocasiões onde o banco traseiro já estiver com a lotação completa com outras crianças, conforme estabelecido em resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Saiba como deve ficar a posição da cadeirinha para transporte das crianças

Bebê conforto

  • A partir do nascimento até 1 ano de idade, a criança deve ser transportada no bebê conforto, sempre apoiando o corpo para que não se mexa demais, principalmente o pescoço;
  • Deve ser instalado no sentido inverso da posição normal do banco do veículo, assim, evita trancos em caso de freadas ou acidentes;

Cadeirinha

  • As crianças de 1 ano até 4 anos de idade devem usar transportadas na cadeira de segurança que deve ficar sempre no banco de trás, voltada para frente, na posição vertical;
  • Claro que a cadeirinha para transporte das crianças, precisa estar fixada ao banco para que esta não saia do lugar;
  • A cadeirinha possui tiras almofadadas que devem ser ajustadas ao corpo da criança com uma folga de um dedo, assim, as crianças ficam confortáveis e tranquilas;

Assento de elevação

  • Já no caso das crianças com idade acima de 4 anos, devem utilizar somente o assento de elevação preso ao banco traseiro, que vai permitir que fique com altura suficiente para usar o cinto de segurança de três pontos.

Todos os acessórios utilizados como cadeirinha para transporte das crianças, seja do recém-nascido até a idade de 7,5 anos, devem ser utilizados somente quando tiver o selo do (Inmetro), Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial, pois é, este selo que confere qualidade e segurança aos produtos.

E nas motos, as crianças podem ser transportadas também?

Levar crianças que tenham menos de 7 anos de idade em motocicletas, é uma infração gravíssima, com penalidade de multa de R$ 191,54, 7 pontos na carteira, e até suspensão do direito de dirigir, além de recolhimento do documento de habilitação, já que nesta idade as crianças não tem condições de cuidar de sua própria segurança.

Quando as crianças alcançam a idade acima de 7 anos, podem ser transportadas em motocicletas desde que seja observado pelos pais ou responsáveis, que esta use capacete, acessórios e roupas adequadas ao seu tamanho, a fim de prevenir lesões mais graves nos casos de quedas, mas, também é preciso que tenham altura suficiente para manter os pés apoiados na pedaleira, e consigam manter-se agarradas ao piloto!

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

Antes de comprar um carro, descubra se você tem condições para mantê-lo

Antes de comprar um carro, descubra se você tem condições para mantê-lo

Sonho de consumo de muitas pessoas, o carro é comumente associado à liberdade e a autonomia. Muita gente fala que é como ter um filho, algo que não se pode comparar em relação ao carinho, mas sim em relação às despesas. Portanto, antes de comprar, é muito importante considerar o custo de manter um veículo.

Muitos dos que ainda não têm, pensam apenas na prestação a ser paga, enquanto muitos dos que já têm, pensam que o gasto se resume ao combustível, mas é aí que estão as armadilhas. É preciso ter consciência sobre as diversas despesas envolvidas. As básicas são: prestações, seguro, combustível, manutenção, IPVA, licenciamento, lavagens e até mesmo possíveis multas.

 

 

Quem já possui um carro quitado, só deve tirar dessa lista as prestações. Mesmo assim, verá que a despesa total chegará, em média, a 2% do valor do carro. Dessa forma, a manutenção de um veículo de 20 mil reais, por exemplo, tem um custo de aproximadamente 400 reais mensais.

Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), destaca que muitas pessoas mantêm um carro apenas por status, e o resultado é o endividamento ou a necessidade de devolver esse bem. Há também as famílias que possuem mais de um carro e deixam um deles parado na garagem, sem perceber que estão perdendo dinheiro. Já outras o trocam pelo transporte público ou por Táxi e obtém grande economia, sem piorar sua qualidade de vida.

 

Será que tenho condições financeiras?

Para saber se esse é realmente o momento certo de comprometer a sua renda com essa compra, Reinaldo afirma que é preciso saber, primeiro, em qual situação financeira você se encontra: endividado, equilibrado financeiramente ou poupador. Os que se encaixam na primeira situação devem evitar ao máximo comprar um veículo, pois o importante, nesse momento, é quitar as dívidas. Contudo, se possuir um carro for uma vontade grande, ele deve entrar na lista dos sonhos – a ser adquirido no médio ou longo prazo.

 

As pessoas equilibradas financeiramente, por sua vez, apesar de estarem em uma posição mais confortável, ainda precisam estar atentas. Basta um descuido e elas passam para a lista dos endividados, minando todas as chances de realizar seus sonhos, sejam eles de curto, médio ou longo prazo.

O consumidor equilibrado deve avaliar se a aquisição de um novo veículo já estava no planejamento. Se sim, é hora de pesquisar com calma e paciência todas as opções de carro que agradam, avaliando pontos fortes e fracos. De qualquer forma, é essencial refletir sobre a real necessidade da compra e analisar as finanças.

Caso a pessoa já possua um veículo, deve avaliar as vantagens e desvantagens de ter outro, até porque, adquirir um automóvel não é investimento – já que, logo que sai da concessionária, o carro sofre, em média, 10% de desvalorização.

 

Fonte www.msn.com

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

Como levar seu Pet na viagem

Como levar seu Pet na viagem

Quem é que não costuma viajar por uns dias, um final de semana, em férias, seja para encontrar amigos, parentes, conhecer novos lugares, e tem que deixar o gato ou cachorro considerados da família, no hotelzinho para animais, ou, pedir aquele “favorzão” para alguém cuidar do bichinho?

Seria bem melhor que ninguém precisasse passar por todo esse estresse, seja o dono do bichinho e o animal.

Foi pensando nesse problema comum que centenas de pessoas enfrentam cada vez que aparece uma viagem, que resolvemos juntar umas dicas de como levar seu Pet na viagem de carro, assim, a felicidade da família vai ser completa e sem preocupações.

Para saber como levar seu Pet na viagem, é simples, basta seguir sempre as mesmas regrinhas que vamos passar para fazer qualquer viagem virar um sucesso! Vamos conferir?

Regra n º 1

Leve seu Pet na viagem, somente se estiver acostumado a passear de carro

Pode parecer bobagem, mas, não é uma boa ideia levar seu Pet na viagem, seja um gato ou cachorro, se não estiver acostumado a fazer passeios, já que certamente ficará agitado, vai miar, latir, pode irritar muito o motorista e os passageiros.

Caso seu Pet se encaixe neste perfil, é bom o quanto antes, começar a passear de carro com ele, assim, terá uma noção de como vai se portar durante horas de estrada.

Regra n º 2

Fale com o veterinário

Essa dica é importante para não causar problemas de saúde em seu Pet durante a viagem, assim, pode evitar gastos desnecessários com veterinários desconhecidos em outras cidades.

Fale ao veterinário sobre a intenção de viajar e levar o Pet junto, assim, faz um check-up geral, o médico pode indicar alguns remédios que ache necessário, até mesmo para evitar enjoos.

Regra n º 3

Alimentação leve no dia da viagem

Tem gente que precisa comer bem antes de viajar, assim como tem outros que preferem comer quase nada, de qualquer forma, a ideia é de não sentir-se mal na viagem e sofrer com enjoos ou vômitos, já que pode acontecer a qualquer um, dependendo das curvas para onde estiver indo!

Nesse caso, o seu Pet deve ser tratado da mesma maneira, com uma alimentação leve, assim, os riscos de enjoo ou vômito podem ser evitados.

É importante levar seus brinquedinhos para que se distraia na viagem, igual as crianças. Não esqueça de levar os pertences que está acostumado, assim, com a carteira de vacinação.

 

Regra nº 4

Períodos de descanso na estrada

Dependendo da distância e do tempo para onde vai, o ideal é parar a cada 2 horas no máximo, se for uma viagem mais curta uma parada a cada 1 hora, assim, como o Pet, todos podem ir ao banheiro, se exercitar, tomar um suco, e estão prontos para continuar o passeio!

Regra nº 5

Use sempre o cinto de segurança, principalmente nos Pets.

 Bom, na hora de transportar seu Pet, dependendo do tamanho do bichinho, é aconselhável que seja transportado numa caixa especial onde terá todo o conforto e ventilação necessário, principalmente os gatos que adoram ficar dentro das casinhas, ou na sua caminha.

Outra opção para levar seu Pet na viagem, é um cinto especial próprio para mantê-lo preso ao banco, mesmo assim, é bom ficar atento as janelas abertas, caso fique solto sobre o banco traseiro.

Existem também a venda, alguns tipos de bolsas, e até cadeirinhas próprias para levar o Pet na viagem, e são parecidas com as cadeirinhas onde devem ser transportadas as crianças.

Já as bolsas têm a aparência igual ao do bebê conforto, e assim, como a cadeirinha, servem apenas para animais de até 10 quilos que devem permanecer presos as cintas para que não se machuquem em caso de freadas bruscas.

Siga essas dicas de como levar seu Pet e Boa Viagem!

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.

100 Dicas para Ter uma Oficina 1000

100 Dicas para Ter uma Oficina 1000

O sonho de todo mecânico é ter a fidelidade dos seus clientes satisfeito pelo ótimo trabalho prestado e oferecendo serviços de qualidade num estabelecimento comercial sério e honesto. Por isso pesquisamos e separamos 100 dicas que farão seu sonho se tornar realidade.

O sonho de todo mecânico é ter a fidelidade dos seus clientes satisfeito pelo ótimo trabalho prestado e oferecendo serviços de qualidade num estabelecimento comercial sério e honesto. Por isso pesquisamos e separamos 100 dicas que farão seu sonho se tornar realidade.

1. Defina um organograma com as atribuições de cada funcionário de acordo com sua função.

2. Seja mais suscetível a mudanças.

3. O primeiro passo para uma mudança é a conscientização de que todas as áreas da oficina precisam passar por uma análise criteriosa e todos os colaboradores têm que se envolver nesse processo.

4. Mostre aos funcionários a importância e o papel de cada um na empresa.

5. Tenha sempre seus funcionários identificados por crachá.

6. Nunca chame a atenção de um funcionário na frente do cliente.

7. Ofereça serviços diferenciados aos seus clientes. Ex. Leva e traz, lavagem, entre outros.

8. Desenvolva a cultura da preservação do meio ambiente em todas as áreas da oficina.

9. Oferecer uniformização adequada é obrigação da empresa.

10. Remunere os funcionários de acordo com o trabalho.

11. Mantenha diálogos sempre ativos.

12. Realize reciclagem e ofereça oportunidades para os seus funcionários conhecerem as tecnologias atuais.

13. Quem trabalha com um sistema de gestão por processos está a 10 anos na frente.

14. Não esqueça que os processos sempre envolvem diversos departamentos, com toda a empresa reunida num só objetivo: a satisfação do cliente.

15. Com processos bem definidos o gestor pode identificar as deficiências das operações e corrigi-las em tempo oportuno, evitando chegar até o cliente.

16. Padronize sua rede com a certificação (Quando aplicável).

17. Utilize sua certificação para participar de licitações públicas. Faça valer o seu diferencial.

18. Busque orientações de gestão em organismos direcionados (SEBRAE).

19. Fique atento e aproveite as oportunidades geradas por exigências do governo, como a Inspeção Veicular.

20. Em caso de oficina a diesel adéque-se para o PMMVD (Programa para a Melhoria da Manutenção de Veículos Diesel).

21. Procure um sindicato e/ou associação para fortalecer o seu padrão de atendimento. Além disso, as associações de classe têm mais acesso para conseguir informações técnicas.

22. Transforme seu concorrente em parceiro, consiga melhores condições e benefícios no mercado.

23. Empresa melhor preparada e melhor formada tem mais possibilidade de atingir melhores resultados e permanência no mercado.

24. Junte um grupo e busque apoio de entidades como o SEBRAE, por meio do projeto Empreender, e aproveite para gerar benefícios para todos os que participam.

25. Busque ajuda externa, uma pessoa de fora enxerga muito melhor o que está acontecendo dentro de uma empresa.

26. Tenha uma certificação da qualidade, pois o órgão certificador irá ajudá-lo a controlar seus padrões de qualidade na prestação de serviços.

27. Lembre-se sempre que a oficina é co-responsável pelo produto que está aplicando no automóvel, por isso, exija produtos de qualidade que sigam as normativas do INMETRO.

28. Implante a filosofia dos 5’s em sua oficina, que transforma o ambiente com organização e atitude, melhorando a qualidade de vida dos funcionários, diminuindo desperdícios, reduzindo custos e aumentando a produtividade das instituições.

29. Na oficina deve-se evitar o estoque desnecessário de peças e materiais em excesso, tanto papéis quanto objetos; desperdícios de graxas, sabão e cremes.

30. Ter a mão apenas as ferramentas que serão necessárias para aquele serviço determinado.

31. . O descarte de óleo e resíduos deve ter a destinação correta feita por empresas credenciadas.

32. Convide o cliente para conhecer a oficina e fazer o trabalho com transparência, oferecendo, inclusive, a possibilidade de acompanhar o serviço.

33. É recomendável que o proprietário do estabelecimento faça um seguro, para qualquer avaria que possa ocorrer ao veículo dentro da oficina.

34. Selecione os serviços adicionais que pode oferecer ao cliente para agregar valor ao seu serviço, como serviço leva e trás, lavagem do veículo, convênio com cooperativas de táxis, etc.

35. A certificação é um investimento e não um custo, pois é uma ferramenta valiosa para análise do sistema da qualidade existente e cobrança contínua de melhorias.

36. A certificação nas oficinas é um reconhecimento público da empresa em relação ao sistema de gestão da qualidade implantado, que em seguida é analisado por uma entidade neutra, habilitada para essa finalidade.

37. Trabalhar de acordo com regras que preservam a integridade física do mecânico é primordial para o sucesso do negócio da reparação e todos são beneficiados.

38. Para evitar problemas com o ministério do trabalho é obrigatório que o empresário disponibilize para seus trabalhadores, além dos EPCs e das devidas manutenções do ambiente de trabalho, os equipamentos de proteção individual, também conhecido por EPIs.

39. Muitos funcionários se recusam a utilizar os EPIs, por não entender que essa prática vai resguardar sua integridade física e sua segurança no dia a dia do trabalho. É uma questão de conscientização e treinamento.

40. O funcionário que descuida do uso dos equipamentos de proteção, apesar de tê-los recebido e orientado sobre o uso, deve receber uma advertência do empregador.

41. Cuidado na formação de preços, levante todos os custos relacionados direto e indiretamente com o serviço. (Ex.: Lavagem, Cafezinho, Água e etc.)

42. Faça um planejamento estratégico com os objetivos que quer atingir num determinado período e assim estipular os indicadores que serão controlados.

43. Registre todas as suas ações para acompanhamento dos resultados.

44. Crie seus próprios indicadores, não existe uma regra, tudo vai depender de qual é o seu objetivo.

45. Crie indicador sobre melhoria no atendimento.

46. Crie indicador para o visual da oficina.

47. Crie indicadores para os processos.

48. Crie indicadores para a entrega do veículo.

49. Crie indicadores para a quantidade de reparos.

50. Defina indicadores que facilitem a solução de problemas.

51. A criação de um fluxograma em cada etapa pode ajudar muito.

52. Utilize estatística e gráficos, a partir dos seus registros, é o modelo mais recomendado para obter os benefícios dos indicadores.

53. Indicadores mostram desenvolvimento, podendo efetuar as correções necessárias em tempo de evitar problemas.

54. Faça um acompanhamento dos indicadores com sua equipe, tornando-a parte de um todo.

55. A pesquisa de satisfação serve para medir o padrão de qualidade do serviço prestado bem como sentir de que forma os clientes avaliam os processos, produtos e serviços oferecidos.

56. Criar um controle de reclamações dos clientes.

57. Crie índices para análise e controle de reclamações.

58. Pergunte ao cliente no momento da entrega do veículo, se ele concorda em responder um questionário de satisfação de atendimento.

59. Marque uma data para a pesquisa com o cliente ainda na entrega do veículo.

60. Não direcione os resultados da pesquisa, pois funcionam como referência para uma auto-avaliação.

61. Não adianta ter uma pesquisa guardada na gaveta enquanto você continua sem saber onde está a falha da sua oficina.

62. Essa ferramenta serve para mostrar onde devem ser feitas as ações e, se assim não for, a pesquisa não está atendendo ao seu propósito.

63. As pesquisas devem ser tabuladas, analisadas e formatadas a fim de gerar base para um plano de melhoria contínua.

64. Utilize a pesquisa para comparar os seus serviços ao longo de um período, caso positivo utilize essa informação em suas ações de marketing e caso negativo crie um plano de melhoria.

65. Após implantação das melhorias, sempre faça uma pesquisa para saber o que seu cliente está achando.

66. Mantenha arquivado o histórico de resultados de suas pesquisas e reclamações, para comparações futuras. Ex.: Em 2005 tínhamos 75% de aprovação dos serviços e em 2010 95% de aprovação ou nossa capacidade de atendimento era de 200 carros/mês e hoje passou a ser 500 carros/mês.

67. Deixe claro ao cliente que o objetivo da pesquisa é promover a melhoria na prestação de serviço e que é importante não só as respostas como algumas sugestões que o mesmo queira dar.

68. Sempre que implantar uma melhoria sugerida pelo cliente, sinalize para que todos saibam e percebam essa melhoria, inclusive o próprio cliente.

69. É importante que a pesquisa seja feita depois de alguns dias que foi realizado o serviço, com um tempo para o cliente rodar com o carro dando o seu parecer, porém nunca superior a cinco dias úteis.

70. Deixe o cliente bem a vontade para expressar a sua impressão sobre o serviço prestado, bem como o que não lhe agradou dentro do seu atendimento.

71. A pesquisa lhe gerará um banco de informações muito rico, portanto, defina padrões de excelência a serem atingidos para que a pesquisa não fique sem sentido.

72. Os itens que tiverem notas baixas devem ser revistos e melhorados. Como qualquer outra atividade, essa avaliação pede o PDCA (Planejamento, Desenvolvimento, Controle e Avaliação).

73. Uma pesquisa bem trabalhada, assim depois de um tempo, permite planejar o crescimento do seu negócio no mercado, através da satisfação do cliente.

74. Uma pesquisa bem trabalhada pode direcionar o futuro da sua empresa, o caminho do desenvolvimento e para o crescimento.

75. Mantenha o ambiente limpo, isso irá atrair públicos diferenciados à sua oficina.

 

76. Ambiente organizado passa uma boa imagem ao cliente e facilita o trabalho dos funcionários.

77. Reduza seu custo implantando a Iluminação Natural.

78. Mantenha uma boa sinalização interna da oficina.

79. Tenham uma boa recepção para os clientes que estão aguardando atendimento e a entrega do serviço.

80. Implante a separação dos resíduos nas oficinas e o descarte correto de peças e outros resíduos gerados da reparação.

81. Adote caixas decantadoras, que fazem o trabalho da separação da água e do óleo antes da destinação para esgoto público.

82. Utilize um analisador de gases para controlar a emissão de gases do veículo na atmosfera.

83. Recicle o gás do ar condicionado para reaproveitamento, pois além de preservar o meio ambiente, traz lucros.

84. Utilize uma máquina lavadora de peças para a lavagem de peças em geral, com produtos biodegradáveis, que não agridam o meio ambiente e gerem economia.

85. Observe se pode oferecer estacionamento para os seus visitantes.

86. Faça a manutenção preventiva das suas instalações e de todos os aprimoramentos que foram realizados.

87. Disponibilize banheiros decentes e limpos para clientes e funcionários, e ainda vestiários com chuveiros.

88. Em relação a limpeza, vale o senso de “não sujar”, assim outras pessoas terão até vergonha de sujar um ambiente que está tão limpo.

89. Se na oficina, cada um manter o seu local limpo, assim como as áreas em comum, o lugar vai estar sempre conservado.

90. Uma seqüência lógica no layout da oficina, por exemplo, reduz o tempo de trabalho e minimizam riscos de acidentes, afinal o trabalhador não precisa ficar andando de um lado para o outro desnecessariamente.

91. O ambiente de trabalho em geral deve ser estruturado para também resguardar a integridade do funcionário.

92. Recomenda-se conferir também se os hidrantes encontram-se desimpedidos e se as mangueiras de água estão guardadas em locais apropriados, o que é uma exigência do Corpo de Bombeiros e vale também para extintores.

93. Em situações de emergência e em casos de acidentes, a oficina deve ter uma caixa de primeiros socorros com anti-séptico (mertiolate), esparadrapo, algodão, curativo pronto (band-aid), etc, sem manter medicamentos.

94. É importante ter também um convênio com hospitais e os telefones do corpo de bombeiros, ambulância, polícia, resgate e o endereço da oficina sempre em um local de fácil visualização.

95. Crie condições para que o cliente possa acompanhar o serviço no seu carro. Ex.: Online de onde o cliente estiver, similar com os bebês em grandes maternidades.

96. Busque entregar serviços mais confiáveis ao cliente usando a tecnologia com equipamentos e softwares.

97. Informatize seus processos e ganhe mais produtividade.

98. Implante um sistema de gestão informatizado que possibilite organizar orçamentos, contas a pagar e receber, agenda de atividades, controle de estoque, peças, cadastro de clientes, fornecedores, relatórios, balanceamento e alinhamento, além de gestão da qualidade.

99. Adquira um scanner automotivo, que faz a leitura e análise de vários componentes relacionados com a injeção eletrônica do motor, sendo essencial para oferecer um reparo de qualidade.

100. Disponibilize um sistema de busca de informações para os funcionários.

 

 

 

Nota
Imagens meramente ilustrativas.
Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site são propriedade da Hulk Equipamentos Automotivos Ltda ou do criador original do material, estas imagens foram coletadas de diversas fontes públicas, incluindo sites diferentes, considerando a possibilidade de estar em domínio público. Se alguém tiver qualquer objecção à exibição de qualquer imagem ou notícias, deve trazer ao nosso conhecimento através do e-mail (contato). O mesmo será removido imediatamente, após verificação do crédito. Todas as Marcas e nomes pertencem aos seus proprietários. Outros nomes e marcas podem ser de propriedade de outras empresas.
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas nos nossos sites que tem por objetivo a divulgação de informação, diversão e educação dos interessados. Medidas tomadas pelos usuários são de sua inteira responsabilidade. Reiteramos que orientamos sempre a consultar e seguir as instruções presentes no manual do proprietário do seu veículo.